quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A linguagem infantil segundo Manoel de Barros e o meu querido Snoopy


Diante da implementação do Ensino Fundamental de nove anos, estive pensando o quanto é desafiador o processo de mudança sem rupturas da estrutura física da escola, e mais ainda do desenvolvimento da sensibilidade de cada professor para tornar esta etapa o mais encantador possível para as crianças.
Antes mesmo de ter o contato com o documento do MEC sobre a implementação do Ensino Fundamental, andei lendo alguns artigos que tratavam da expansão da Educação Infantil. Um deles foi de Marieta Félix Rosa - XXII - ENDIPE, nele há um poema de Manoel de Barros que muito evidencia o problema central desta etapa: a linguagem.


Língua de criança é a imagem da língua primitiva.
Na criança fala o índio, a árvore, o vento.
Na criança fala o passarinho.
O riacho por cima das pedras soletra os meninos.
Na criança os musgos desfalam, desfazem-se.
Os nomes são desnomes.
Os sapos andam nas ruas de chapéu.
Os homens se vestem de folhas no mato.
A língua das crianças contam a infância.
Em tatibitati e gestos.


A Educação Infantil deve respeitar o momento criança.

Este mês ganhei de presente uma coleção de dvds da turma do Snoopy. Desde pequena sempre adorei este desenho, no entanto não me recordava de muita coisa, pois das vezes que assisti foram apenas fragmentos de alguns episódios. Para minha surpresa quando começou a exibição, percebi como são diferentes a linguagem de adultos e das crianças, não só a linguagem mais os seus desejos e conflitos. É muito interessante. O universo da escola está todo o tempo na vida das crianças e em sua maioria não faz sentido, não as compreendem. Este desenho é da década de 50 e penso que seja um recurso maravilhoso de análise e estudos de escolarização enquanto curtimos as grandes ideias do pequeno Snoopy e sua turma!

Sem comentários:

Enviar um comentário

 
Copyright ©Ana